2.9 fim de um ciclo

27/05/2016


Falta um pouco menos de dois meses para eu completar 29 anos, todo ano aqui no blog na data  (ou próxima ) escrevo uma pequena reflexão sobre o último ano que se passou,mas para quem não sabe o ano pessoal de cada indivíduo se inicia apenas quanto este faz aniversário.Esses últimos três anos foram turbulentos e digamos que me sinto aliviada,por  estar num ciclo final novamente.Não estou aqui para contar as coisas que passei,nesses anos todos (nos 29 anos),não quero provar para ninguém como sou forte e sou guerreira...apenas quero deixar novamente a resolução que a vida é feita de escolhas,ou tu aceita ou fica o restante da vida amargando e lamentando aos quatro ventos,como sua vida é injusta.

Por mais coisas ruins que passei na vida,abomino o discursinho de coitadismo e de mérito de conseguir mais que os outros,por apenas ter sofrido.Acredito que reclamar em demasia  é perda de tempo,procuro usar esse tempo analisando o erro e buscando soluções.

Uma questão de honra

20/05/2016



Acredito que seja o terceiro ano que eu escrevo para ela aqui no blog,mas nesse ano parece que a dor bateu mais forte do que dos anos anteriores. Hoje é o primeiro dia do Encontro de Motociclistas de Vinhedo,lugar que ela amava frequentar, e foi em um desses tipo de evento que a vi pela última vez.E foi num mesmo Encontro de Motociclistas  que combinamos de irmos ao show do Rammstein em 2010,mas nem deu tempo,pois meses antes do show ela veio a falecer.

Li agora pouco a noticia que a banda virá em terras Tupiniquins, a seis anos atrás eu tinha o dinheiro do ingresso nas mãos,mas não tinha ânimo para tal.Agora é uma questão de honra ir,nem que eu vá sozinha!Afinal não estarei completamente sozinha,tenho que levar de alguma forma essa minha querida amiga junto!No coração de preferência.

Fuja de si mesmo,para depois se reencontrar

17/05/2016

https://cdn-img-0.wanelo.com/p/4b1/16e/02a/bf8eccf44772c4eabc5e101/x354-q80.jpg

Estamos tão acostumados a não nos olhar no espelho,que muitas vezes pensamentos e acontecimentos das nossas vidas, passam despercebidos.Ficamos pensando sobre a nossa ''anormalidade'' na qual assusta os outros,mas não é bem por ai que a banda toca,nem todo mundo se assusta conosco,nem todo mundo acha nossa estranheza abominável.Pessoas vem, vão e muitas delas ficam em nossas vidas, elas nos ensinam lições,abrem nossa perspectiva e mostram porque devemos ouvi-las muitas vezes.Como disse,estamos muito acostumados com nós mesmos,que mal nos notamos,quem melhor do que o outro para nos observar?!
Algumas pessoas nem precisam dizer muito para nos ensinar,estas apenas nos ensinam com pequenas atitudes,nos mostram que nem sempre o passado precisa estar no nosso presente.Nem todo mundo é igual,nem todo mundo é a repetição de acontecimentos,nem toda lição permanece ali 'batendo ponto' em nossas vidas!

Não envenene a si mesmo

11/05/2016

https://sohanews2.vcmedia.vn/2016/chat-doc-1450936915657-1455806549540.gif

Não sei se é pelo fato de faltar um pouco mais de dois meses, para eu completar 29 anos (afinal é o último ciclo de uma fase da vida,ou se de fato minha mente se amplificou de uma forma bacana,na qual pude enxergar as coisas com um novo senso.Mas uma coisa é certa: vi que eu não devo me culpar por coisas que fazem parte de mim,por mais arrogante que possa parecer aos olhos dos outros.
Durante anos me privei de admitir que eu era merecedora de elogios,elogios estes direcionados ao meu talento,me achava desmerecedora de tais lindas palavras,achava que saber e ter capacidade era mais do que minha obrigação, e não uma dádiva (vamos chamar assim).




Minhas memórias esquecidas



tecnologia do blogger • Créditos